Rótulos de vinhos brasileiros. Aprenda a interpretar!

Tempo de leitura: 3 minutos

Os rótulos de vinhos brasileiros atendem a legislação brasileira de rotulagem, que é complexa e possui alguns termos específicos que devem constar entre as informações de rótulo.

Explicaremos de forma simplificada as principais delas.

Dentre as informações exigidas, algumas são comuns a qualquer rótulo (seja qual for o país), como por exemplo: o nome do vinho, nome e endereço do produtor, país de origem (indústria brasileira, no nosso caso), conteúdo (expresso em mililitros – ml) e a graduação alcoólica (expressa em porcentagem de volume alcoólico – %).

Rótulos de vinhos brasileiros. Aprenda a interpretar

Referências apresentadas nos rótulos de vinhos brasileiros

O número de registro

Todo rótulo deve apresentar o número do produto registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Os ingredientes

A uva e os aditivos. Nos vinhos finos, é comum encontrarmos: “Elaborado a partir da fermentação de uvas viníferas frescas”.

O lote

A identificação do lote facilita na localização dos rótulos em casos de problemas com o produto.

A validade

O prazo de validade no caso do vinho, é “indeterminado”.

Frases de advertência

No caso do vinho, as frases são sobre o fato de não conter glúten e sobre o consumo de bebida alcoólica.

Denominação e classificação do produto

A denominação é sempre o nome do produto, ou seja, vinho.

Já dentro das classificações do produto, encontramos a de classe, a de cor e a de teor de açúcar.

Rótulos de vinhos brasileiros. Aprenda a interpretar

Quanto a classe

Finos: Vinhos elaborados a partir de uvas viníferas;

De mesa (ou Comum): Vinhos elaborados a partir de uvas americanas e ou híbridas.

Quanto a cor

Tinto, rosado ou rosé e branco.

Quanto ao teor de açúcar

– Seco: Vinhos com até 5 g/l de açúcar

– Demi-sec: vinho de 5.1 a 20 g/l

– Suave: vinho acima de 20,1 g/l

Rótulos de vinhos brasileiros. Aprenda a interpretar

Quanto ao teor de álcool

Dependendo do teor de álcool de cada vinho, ele recebe uma classificação:

– Leves: Vinhos de 7% a 9,9%

– De mesa ou Finos: Vinhos de 9% a 14%

– Licorosos: Vinhos de 14,1% a 18%

Importante:

Quando elaborado com variedades Vitis Vinífera, o vinho deverá conter na sua classificação a palavra “fino” ou a expressão “de viníferas”. Caso não as localize, então há a possibilidade de ser um vinho elaborado com uvas do grupo das americanas.

Rótulos de vinhos brasileiros. Aprenda a interpretar

Nomenclatura

A nomenclatura é forma que a vinícola apresenta seus vinhos, que além da marca comercial ainda pode identificar os vinhos entre o Varietal ou Assemblage.

– Varietal: quando é usado o nome da variedade de uva expressa no rótulo. A classificação de varietal dos vinhos brasileiros considera que deve possuir no mínimo 75% dessa variedade em destaque.

– Assemblage, Corte ou Blend: vinhos que provém da combinação de duas ou mais castas.

Para exemplificar, entenda a apresentação de um vinho:

  • VINHO (denominação);
  • TINTO (cor);
  • FINO (elaborado com variedades Vitis Vinífera);
  • SECO (Vinhos com até 5 g/l de açúcar).

Rótulos de vinhos brasileiros. Aprenda a interpretar

Outras informações que podem constar nos rótulos de vinhos brasileiros

Há outros dados que são do interesse do apreciador de vinhos e que não são obrigatórios nos rótulos pela legislação brasileira, como por exemplo:

  • Informação relacionada ao amadurecimento do vinho (ex: reserva, gran reserva ou Reservado);
  • Citação da região de produção ou da denominação de origem (ex: D.O.P. – D.O.C. – I.P. – D.O. )

São muitas informações e para auxiliar, elas têm sua apresentação dividida entre o rótulo (vista principal) e o contra rótulo da garrafa.

Agora você já sabe o essencial para analisar as informações dos rótulos de vinhos brasileiros. É a hora de degustar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *