Frisante ou Espumante: você sabe a diferença?

Tempo de leitura: 4 minutos

O frisante é uma excelente opção para quem pretende experimentar o frescor e acidez marcante de uma bebida que apresenta quantidade menor de gás carbônico na taça. Além da diversidade que esse vinho é capaz de proporcionar.

Frisante é um vinho produzido no primeiro processo de fermentação natural da uva e que se apresenta com menor concentração de gás carbônico.

O vinho frisante não está classificado nem como um espumante e tampouco como champagne.

Os frisantes podem ser produzidos tanto na versão branco, tinto ou rosé.

Frisante ou Espumante? Entenda as diferenças!

Frisante ou espumante: Você sabe a diferença?

Inicialmente é preciso compreender o que os dois têm em comum.

Visualmente:

Quando colocados em taça, podemos dizer que um espumante e um frisante são muito parecidos.

Tanto o espumante quanto o frisante são tipos de vinhos que quando servidos fazem bolhas e espuma em função do gás carbônico presente na bebida.

No paladar:

As duas bebidas apresentam frescor e acidez marcante, sem contar que, em algumas situações poderão apresentar semelhança no gosto também.

E outra afinidade é que tanto o espumante, quanto o frisante podem ser encontrados nas versões:  Secos (com menor quantidade de açúcar) ou doces (como os demi-sec e os suaves).

Frisante ou Espumante: você sabe a diferença?

O que diferencia o frisante de um espumante?

Quanto ao gás carbônico do frisante

A grande diferença entre os dois está justamente no gás carbônico.

Segundo normas da União Brasileira de Vitivinicultura, a Uvibra, quando um vinho espumante natural for produzido, o gás ou anidrido carbônico deverá ser obtido naturalmente durante a fermentação alcoólica da bebida.

Já no caso dos frisantes, o gás carbônico pode ser obtido tanto de forma natural, quanto artificial.

Em alguns frisantes, esse gás carbônico é incorporado de forma artificial, no momento da fermentação alcoólica.

Por conta desta gaseificação artificial, muitos dos vinhos frisantes irão apresentar-se com menos espuma e terão menos bolhas, se comparado a um espumante.

Graduação alcoólica do frisante

Os frisantes podem obter uma graduação alcoólica entre 7% a 14%, enquanto que nos espumantes, o teor pode variar entre 10% a 13%, (sendo de 7% a 10% para os moscatéis e entre 10% e 13% para os brut e demi-sec).

Pressão contida na garrafa do frisante

Uma das maiores diferenças entre as bebidas é a pressão que exercem dentro da garrafa.

Enquanto nos frisantes a pressão varia entre 1,1 e 2 atmosferas, nos espumantes a pressão mínima é de 4 atmosferas, podendo chegar até 6.

Por apresentarem uma pressão interna menor, os vinhos frisantes não necessitam de garrafas extremamente resistentes, pois essa pressão não é excessiva a ponto de estourá-las, ao contrário do que acontece com os espumantes.

A melhor forma de identificar um vinho frisante é através das garrafas.

Frisante ou espumante: Você sabe a diferença?

Por quanto tempo posso guardar meu vinho frisante?

Vinhos frisantes e a grande maioria dos espumantes são produzidos para beber em pouco tempo.

Ambos são vinhos jovens, ou seja para consumo rápido, já que não suportam o envelhecimento.

A acidez e refrescância destes vinhos frisantes se perdem muito fácil com o passar do tempo.

Recomenda-se o consumo entre o primeiro e o segundo ano de produção.

Qual é a temperatura ideal do serviço do vinho frisante?

Para usufruir de todas as qualidades, é importante que o seu frisante encontre-se gelado na hora de servir, entre 6 e 8°C é a temperatura ideal para estes vinhos.

Em dias muito quentes, mantenha-o dentro de um balde de gelo para garantir que esteja gelado cada vez que for servir.

Dica: Uma alternativa para manter a bebida gelada por mais tempo na taça, é servir com uva congelada. Mas fique tranquilo, pois essa dica não irá alterar o sabor da bebida.

Frisante ou Espumante: você sabe a diferença?

Você tem dúvidas de como harmonizar seu vinho frisante?

Uma das principais particularidades dos frisantes é serem vinhos leves e refrescantes, o que os torna perfeitos quando harmonizados com refeições igualmente leves, entretanto, em função da acidez e presença de gás, também acompanham refeições mais gordurosas.

Combinam também com aperitivos, como embutidos, patês e castanhas, amendoins, amêndoas e nozes.

Em jantares, são um acompanhamento perfeito para salgados ou até mesmo para pizzas não muito condimentadas.

Embora tenham suas diferenças, de um modo geral, tanto o frisante quanto o espumante harmonizam com refeições leves, geralmente servidas em dias mais quentes.

Veja uma pequena relação de opções para harmonizar com seu frisante:

  • Entradas e canapés;
  • Quiches, suflês;
  • Saladas diversas;
  • Sushi e sashimi de peixes variados.

Frisante ou espumante: Você sabe a diferença?

  • Ceviches, camarão;
  • Peixes fritos e grelhados;
  • Massa ao molho branco;
  • Queijos diversos (frescos, massa mole, duros);
  • Frutas e sobremesas.

Frisante ou espumante: Você sabe a diferença?

Aproveite a praticidade do vinho frisante e surpreenda seus convidados enfeitando sua mesa com drinks especiais e coloridos com frutas.

Frisante ou Espumante: você sabe a diferença?

Liberte sua criatividade e não deixe de experimentar as opções que dispomos .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *